Joseh Ribas






DAS LÁGRIMAS

Se me chegam as lágrimas aos olhos
Se me chegam as lágrimas
Já não as posso mesmo conter
Que se tornem aos rios de sentir
E se espalhem ao mar do querer

Querer e não poder repartir
Partir e não consentir endenter
Saber... Porém jamais aceitar
Entar chorar e preencher ao mar
Das lágrimas que não se pode conter

Que dispam sentires não sidos
E vistam desnudos acolhimentos
E aguem ao cair da tarde dolente
Essas águas que resfriam a alma:
O córrego das lágrimas quentes.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.