Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Joseh Ribas






POEMA ESCURO

Na meia noite da minha vida
Vejo por um instante o clarão
Que faz brilhar uma lembrança
Das muitas que ainda virão

As escolhas certas, não fiz
E dos equívocos sinceros e ciladas
Vi trocar-se alhos com bugalhos
E depois, não havia mais nada

Uma escuridão que se faz brilhar
Na calada silenciosa da alma
As perguntas que vêm falar
Das distâncias e das brumas

O escuro que faz por iluminar
A praia por entre as espumas
Dos intermináveis desencantos
Que não quero mais navegar

Nessa hora renascem velhos
Os fantasmas e o passado
Atravessam o território proibido
Que entre muros tenho guardado.



Tempo de carregamento:0,03