GERALDO DE CASTRO PEREIRA






MELANCOLIA

Tento compor poemas alegres.
Não consigo,
Pois a boca fala
Do que repleto
Está o coração.
O poeta também escreve
Aquilo que dentro
de sua alma está.
 
Alguns lampejos de alegria
Às vezes invadem meu ser.
Mas, logo a tristeza
Toma conta de mim.
E eu  sigo levado
Por um sopro invisível
Que me transporta
Como uma pena caída
De uma ave sofrida,
Já quase morta..
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.