GERALDO DE CASTRO PEREIRA






MARIPOSAS DA LUZ

 
Mariposas do meu quarto,
Rodopiando sem cessar,
Tão velozes e irrequietas,
Suicidas inconscientes
Ao calor da luz.
 
 
Mariposas da luz
Tombam no alçapão
Preparado pelos quebra-luzes
Da paixão.
 
Mariposas voluptuosas
Bailam tanto, tanto...
E, tontas, se arrebentam
contra as vidraças da ilusão.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.