Mauro Evaristo






O "Não" eu já tenho.

Se perguntar por que escrevo
Não fica difícil de entender,
Até penso que não devo
Mas, para mim é tão fácil de fazer!
Você não visitou o meu site/sítio
Logo não vê que já carrego o "Não"!
Você ainda não leu meu ofício/sacrifício
Por isso desconhece a minha emoção!
Sou poeta e contraditório
Pois, amo e não tenho um amor,
Quero ser magnânimo sendo simplório,
Não cultivei, mas ofereço a flor!
Eu luto pelo olhar da menina
Na expectativa que fique feliz ao me ver,
No mesmo instante em que a Palestina
Luta apenas para sobreviver!
Vivemos presos em uma caverna
Apesar do vidro fumê
Assistindo a mesma novela
Procurando o que comer!
Apesar do controle remoto
Quero ter controle de mim
Mas, a vida faz interface é lógico
Com entradas e saídas USB e mini-dim!
Eu vivo no tempo que consome
Na correria diária e chata,
Enquanto por aí matam um homem
Eu ainda nem acertei o nó da gravata!
Corre-se tanto por aí
E ninguém vê onde chegar,
Mas o Eu poeta só quer ser feliz
E seu poema terminar!
Você não entende bulhufas
Se ao partir apenas venho
Mas, a sua mente astuta
Já sabe que o "Não" eu já tenho!

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.