Luiz C. Lessa Alves






O GALHO E O PASSARINHO

O GALHO E O PASSARINHO
 
Ele bateu asas todo convencido
De que podia voar e sobreviver sozinho;
Deixou a árvore onde se criara,
Ignorando o galho que ostentou seu ninho.
 
Perambulou e vagou por floras distantes,
De arvoredos frondosos e bastante bonitos;
Com frutos gostosos e flores vibrantes...
Mas, de ramos transados e cheios espinhos.
 
Hoje, cansado e arrependido, jura que vai retornar,
À mesma árvore de onde saiu.
Para beijar e abraçar aquele velho caule
Que de tudo fez para resguardar o seu ninho.
 
Vai pedir-lhe perdão por todo mal que causou,
Ao pensar somente em si, quando pra longe partiu;
Mas, o tempo se foi, e muita coisa mudou:
O galho murchou, secou... e da árvore caiu.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.