Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Luiz C. Lessa Alves






ANJO DA GUARDA

 ANJO DA GUARDA
 
Já montei em burro brabo,
Muito caí e levantei.
Já andei por matas fechadas,
Nenhum bicho me mordeu.
Nadei em muitos peraus,
E jamais me afoguei.
Até em alto-mar, sobre seis paus,
De jangada eu naveguei...
E mal nenhum me sucedeu!
Tanto brinquei, quanto briguei,
E de minha boca nenhum dente se perdeu,
Graças a meu Anjo da Guarda;
Ele sempre me valeu!
 
Hoje, sinto tanta sua falta!...
Meu Anjo da Guarda,
O que lhe aconteceu?
Você está zangado comigo?
Ou também envelheceu?
 

Tempo de carregamento:0,01