Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







GERALDO DE CASTRO PEREIRA






TAPERA ABANDONADA

           `A de uma estrada
            Erguia-se, sobranceira,
            Linda casa de madeira
            Toda cercada de flores.
                           
             Ali  trinavam os passarinhos,
             Dependurando seus ninhos
             Nos galhos dos roseirais.
            
              Naquela bela morada
              Vivia um ser ditoso
              E este ser sorria.
              Sorria com a natureza,
              Sorria com as flores,
              E também com seus amores
              ..
              Mas, um dia,
             - triste dia –
              Este ser partiu,
              Deixando em abandono,
              Totalmente sem dono,
              Aquela mansão do amor.  
 
             Os  jardins se emurcheceram,
             Os passarinhos se calaram. 
             E tudo se entristeceu.
             A casa virou tapera,
             Nem mesmo a primavera
             Por lá apareceu.
 
             E uma verde trepadeira,
             Que brotara ao pé de uma roseira,
             Abraçou a tapera abandonada,
             Num derradeiro amplexo
             de tristeza e de saudade                     
 
                                                       
  
 
 

Tempo de carregamento:0,04