Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Luiz C. Lessa Alves






LUAR NA PRAIA

LUAR NA PRAIA
 
Quando o Sol se escondia por trás das fendas
Das palmas trêmulas dos coqueirais,
E ela surgia de entre as vagas  
Com seu olhar meigo e sorriso largo...
 
Ah! Quanto brilho e ternura havia naquele olhar!
Mas, ao me espiar por entre as fenda
Das marolas trêmulas daquele mar!
Parecia me fitar sem querer me ver, 
E em me ver, parecia-me não querer me olhar.
 
Aquela incerteza me deixava encabulado.  
Então, me sentava na areia e ali ficava
Inerte, calado, olhando seu corpo,
Sem me atrever, jamais, nele tocar!
 
Até chegar o alvorecer,
Quando o Sol saía de entre as ondas,
E ela sumia por trás das fendas
Das palhas trêmulas dos coqueirais!
 
Deixei-me levar pelos seus encantos!
Segui seus rastros, seus passos,
Suas fases e os dias seus.
Hoje, sem ela; triste e só na cidade grande,
Por entre as fendas das luzes das ruas trêmulas...
Quem se esconde, sou eu.

Tempo de carregamento:0,04