Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







GERALDO DE CASTRO PEREIRA






SUSSURROS DO BAMBUZAL

Quando a tarde descamba lentamente
E, soprando, soluça a ventania,
O bambuzal tristonha sinfonia
Põe-se a cantar, num sussurrar plangente.
 
Verdes folhas farfalham, tristemente,
Sob os efeitos de uma aragem fria.
E os troncos vão gemendo de agonia,
Como se os açoitasse mão veemente.
 
Eu, quantas vezes, descansando à sombra
Dos bambuzais, ouvi esta sentida
Lamentação entre a macia alfombra.
 
Do bambuzal lembrando, assim pensei:
“Se até as árvores  sentem dor na vida,
Por que também eu não senti-la-ei?”
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Tempo de carregamento:0,04