Tânia Abrão






A outra em mim

No espelho,vendo minha
imagem refletida,
Tento decifrar o enigma,
As marcas no rosto
Não escondem
O tempo vivido,
As doressofridas
As ilusões perdidas
Porem uma luz
Insiste, persiste
A brilhar nos meus olhos
Como uma menina travessa
Essa outra que existe em mim
Brinca com a vida
Atrevida
Escreve versos
Corajosa
Ama loucamente
Invejo sua beleza
Sua leveza
Sua sensibilidade
fecho os olhos
E fantasio
Agora sou ela
Posso ousar
Posso me atrever
A te desejar
A te amar
Como eu queria
Poder ou saber
Faze-la saltar
Dos meus olhos
E sê-la sempre
Livre
Poeta
Feliz
Amada e amante
Ou,
Simplesmente,
MULHER


 

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.