Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Paulo de Faria Salgado






APESAR DOS PESARES

 

Apesar dos pesares – que eu sonhe onde há pouco para sonhar.

Apesar da descrença – que eu não deixe de acreditar.

Apesar da lágrima – que eu ainda possa minha alma embelezar.

Apesar da fragilidade – que eu tenha forças para alguém abraçar.

Apesar do tempo que resta – que eu agradeça por deixares te amar.

Apesar dos poucos amigos – que eu os preserve até chegar.

Apesar das mágoas – que os espinhos eu não deixe de retirar.

Apesar dos ciúmes – que eu entenda que a vida tem que andar.

Apesar do cansaço – que eu sinta que valeu a pena caminhar.

Apesar do que colhi – que eu não precise continuar a plantar.

Apesar das dificuldades – que eu agradeça por sabê-las superar.

Apesar das lembranças – que eu perceba que não adianta lembrar.

Apesar das rugas – que eu não fuja de no espelho me olhar.

Apesar dos hipócritas – que eu os aprenda a descartar.

Apesar dos demagogos – que eu me orgulhe de não confiar.

Apesar dos tombos – que eu veja que eles me ajudaram a levantar.

Apesar das pedras – que o objetivo do caminho eu consiga alcançar.

Apesar das incoerências das religiões – que uma delas eu venha a professar.

Apesar das injustiças sociais – que eu não me revolte por não saber consertar.

Apesar da angústia – que eu me permita a ela dominar.

Apesar da ansiedade – que eu encontre meios de me controlar.

Apesar dos preconceitos – que eu não me deixe contaminar.

Apesar das evidências – que eu não venha a me desesperar.

Apesar dos devaneios – que eu não passe a me assoberbar.

Apesar das incongruências – que estas não me possibilitem errar.

Apesar das minhas falhas – que eu seja grato aos que as souberam aceitar.

(Paulo Salgado – 08/2010)


 
 


Tempo de carregamento:0,01