Marco Antonio Frozi Filho






Poema (Des)construção

  Se no teu íntimo, antes de leres, sentires esses novos versos
  Verás que não são  tão novos.... apenas o seu                                                                                                    nas raízes do abstrato de o ser-se.
                             o poema são vários e é um.
                    Agora, mais de perto, vejo ainda que nem o querer do querer desse poema é o novo.
                                  

                   O meu verso é nos seus verbos,
                   Seu verbo é nos  meus versos.
                                                                                     Transitam ao sabor     das vozes...
                                         Transitam ao sabor de sons
Que  nos erram.....

 Verás que não são  tão novos.... apenas o seu querer é novo Ouvirás  murmurar 
                             Um Camões.
           
                    Um Bandeira.
                                                    Um Quintana .
                                                                                                Um Gullar.
                            Vozes docemente intrometidas,
autoritárias...
                                             Suas vontades escondidas ressoam...

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.