Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA






VIAJANDO NA VIAGEM

                                 
 
Portão enclausurado
Brisa empalada por chaveiro
A lira erudita é a filosofia
Do estéril cancioneiro   
 
Quero amanhecer a luminescência do ensejo
Adormecer sob o aconchego do mundano seio
Oceanos da paz desejo
Solfejar cânticos de Ioruba no terreiro
 
Penso em deslizar por desfiladeiros
Acossar insanamente o desterro
Naufragar minha coragem nos mares do desassossego
Encharcar a minha mente
De Raul Seixas
Ao entrar em êxtase
Por beber vinho seco
 
Sou o beijo que beija a todos e a si mesmo
Favelas incessantemente recrudescendo
Faca cortando o tédio e o engarrafamento
Lança lançando o lamento
Faísca faiscando o incêndio
Vento que venta sobre o meu vento
 
Sinto o sentido sentimento
Morro no morro do momento
Produzo o pão do penoso pensamento
 
Ando azulejando aragens
Passo o passado da passagem
Vivo viajando na viagem
JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
 
 
 

Tempo de carregamento:0,04