GERALDO DE CASTRO PEREIRA






A GRALHA SOBERBA E O PAVÃO

          
 
           A gralha, toda soberba,
           De um pavão penas pegou.
           E com elas, satisfeita,
           O corpo todo adornou.
.
            Foi então se misturar
            com o bando dos pavões.
            Aqueles não a aceitaram,
            E, formando batalhões,
 
            As penas dela arrancaram
            Com seus bicos afiados.
            E depois afugentaram
            A intrusa com seus brados.         
 
            Após aquele vexame,
            A gralha, toda humilhada,
            Quis voltar à sua espécie,
            Mas, foi logo rechaçada.
 
           Outra gralha assim lhe disse,
           Com muita sabedoria:” 
          Se ficasse aqui conosco,
          Repulsa não sofreria”.        .
 
 
          Desta fábula extraímos
          Esta pequena lição;
          “Nem todos estão contentes
          “com a sua  condição”
 
        
 
 
 
 
 
 
 

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.