Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







GERALDO DE CASTRO PEREIRA






FÁBULA - A RAPOSA E A ÁGUIA



      
           FÁBULA:  A  RAPOSA   E  A  ÁGUIA 
 
            Numa certa ocasião,
            Uma águia altaneira
            Agasalhou seus filhotes
            No alto de uma palmeira.
 
           Outro jeito não achando
           Para a prole alimentar,        
           As crias de uma raposa
           Com violência foi roubar.
 
           A raposa, mãe zelosa,
           Ficou cheia de revolta.              
           Perseguiu aquela ave
           Pra ter seus filhos de volta.     
 
           Usou de todos os meios,
           Com prantos e exclamações,
           Mas de nada adiantaram
           As suas lamentações.
 
            E, não tendo outra saída,
           Chegou-se até a um altar;
           De lá tirou uma tocha
           Para a palmeira queimar
 
           É claro que era insano
           O desespero do gesto.
           Pois poderia matar
           Os filhos e todo o resto.
 
           A águia, vendo o perigo
           Que todo o mundo corria,
           Devolveu para a raposa,
           Incólume, a sua cria
 
          Como moral da história,
          poderei  acrescentar:
          “A astúcia do  mais fraco
          Não se deve desprezar”
 
     
        Obs: outra  fábula de Fedro,  numa tradução mais livre do latim.

     Espero que gostem. Versos heptassílabos.

                 Geraldo de Castro Pereira   
.
        
              
 


Tempo de carregamento:0,04