Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Amarilia Teixeira Couto




Biografia

Professora da Rede Municipal de Ensino de BH.Atualmente sou artesã, profissão que muito tem a ver com o meu jeito de  estar no mundo.Busco na trama do bordado, nas nuances das cores dos tecidos e na delicadeza necessária à confecção de cada peça ,o aguçamento da percepção e a tolerância, instrumentos fundamentais para contemplar o que realmente vale a pena na vida.



Textos de Amarilia Teixeira Couto
Porta entreaberta
O que se esconde sob as máscaras dos protestos?
A inveja
O que se epera de um namorado?
Muito obrigada,viu?Deus te acompanhe!
Fábula amorosa
Poema com retas e curvas
O que a vida quer da gente é coragem
Não me traduzo em palavras
É teu,meu amor!
Cumplicidade
Além do perceptível
A multiplicação dos guarda-chuvas
Xô,tucano!
Minudências
Melancolia
Encantamento
E o carnaval acabou...
Quando de mim tu te apartaste
Tempos de (des) amor
A paz que eu gosto de ter
A estátua viva e o menino
Antes que seja tarde
O poeta das curvas
O meu coração é um latifúndio
Tô cansada de fazer marmita
Pedido de Natal
Covardia
Síndrome do final de ano
Que o tempo voe!
Tuas mãos (lembrando Neruda)
Das incertezas do amor
Cinderela,eu?
Somente a saudade traz o amor de volta
Final de campanha
Namorantes – que tribo é essa?
Em time que está ganhando não se mexe? Por quê?
Propaganda enganosa II
Propaganda enganosa
Me veio assim...
Então, fiquemos assim...
Os ipês amarelos da estrada de Jabó
Enquanto o ônibus não vem...
Patrus está de volta!
Eu te amo.Tu me amas?
Como quem veio do nada
Não permita,amor!
Se nos meus devaneios...
Agosto
Entrelinhas
A alemãzinha
Discordar é saudável
Avec elegance
Mais amor feinho
Êxtase II
Pedacinhos de amor
Êxtase V
Aquém do horizonte
Dom Quixote e seus moinhos de vento
Caros amigos
Existe receita pra ser feliz?
Quando a saudade não mais...
Transcendência
Por que idealizamos tanto?
Quando toca o celular
Interlocução com Neruda
Esperando na janela
Fruta madura
Um novo jeito de amar (reeditado)
Tia Augusta
De doida e de santa (lembrando Adélia Prado)
O vendedor de Bis
De que reclama a mulher?
Posso desabafar?
Êxtase
Vida de menina I
Quando eu soltar a minha voz...
Amar se aprende amando.
Só o bobo é capaz de um excesso de amor"
Ah, esse friozinho...
Amor distante
Felicidade concreta
Essas palavras....
Também quero um amor feinho
Que idade temos?
Na trama do bordado
As mulheres terminam o relacionamento.E os homens?
Histórias de amizade ( I )
Clube das sextas ( III )
Clube das sextas ( II )
Maktub
Moça velha
Rejuvenescer
Que novo homem é esse?
Clube das sextas ( I )
É assim que te quero
Foto apagada?
Convite
Ouvir estrelas (licença poética)
Entre o sagrado e o profano
Padre Gomes
Oh, tristeza me desculpe...
Manhãs de domingo
Chega um tempo...
No ônibus ( Retratos I )



Tempo de carregamento:{elapsed_time}