Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Adélia Maria Woellner




Biografia

Adélia Maria Woellner nasceu em Curitiba (PR), no dia 20 de junho de 1940.Formou-se em Direito, pela Universidade Federal do Paraná, em 1972, quando foi premiada com quatro medalhas, inclusive a de ouro, por haver obtido o 1º lugar no curso jurídico noturno.Foi professora (Direito Penal), no período de 1973 a 1985, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná.
Pertence à Academia Paranaense de Letras (Cadeira nº 15); à Academia Feminina de Letras do Paraná (Cadeira nº 18); ao Centro de Letras do Paraná; à Academia de Letras José de Alencar (Cadeira nº 8); ao Centro Paranaense Feminino de Cultura; à Academia Paranaense da Poesia (Cadeira nº 26); à Academia de Letras e Artes de Pato Branco-PR (Cadeira nº 27), à União Brasileira de Trovadores, Seção de Curitiba; à Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil, além de a várias outras entidades lítero-culturais do Brasil. É membro de “The Internacional Academy of Letters of England” (Grafton Road, London, England), do Centro Cultural, Literário e Artístico da Gazeta de Felgueiras (Felgueiras, Portugal) e Patrona da Cadeira nº 37 da Academia de Estudos Literários e Linguísticos de Anápolis (Goiás).
Teve seu nome incluído nas seguintes obras literárias: “Ponte da
Memória”, de Vivaldo Cairo (Salvador, BA-1966); “Dicionário Biobibliográfico de Mulheres Ilustres, Notáveis e Intelectuais do
Brasil”, de Adalzira Bittencourt (Rio de Janeiro, GB-1969); “Dicionário Literário Brasileiro”, de Raimundo de Menezes (Rio de Janeiro,RJ-1978); “Sesquicentenário da Poesia Paranaense”, de Pompília Lopes dos Santos (Curitiba, PR-1985); Enciclopédia de Literatura Brasileira”, de Afrânio Coutinho, em convênio com a FAE, Ministério da Educação (Rio de Janeiro, RJ-1990); “Dicionário de Poetas Contemporâneos”, de Francisco Igreja (Rio de Janeiro, RJ-1991); “Almanaque Literário”, de Laís CostaVelho (Rio de Janeiro, RJ-1997), “Dicionário de Mulheres”, de HildaAgnes Hübner Flores (RS-1999).
No dia 10 de outubro de 1974, o programa cultural “Projeto Minerva”, criado e promovido pelo Ministério da Educação e Cultura - MEC, em cadeia nacional de emissoras de rádio, foi dedicado à análise edivulgação do seu livro “Poesia Trilógica”.
Participou da elaboração dos livros “Uma Viagem de Cem Anos” e “Pelos Trilhos da Memória”, editados pela Superintendência Regional Curitiba,da RFFSA, em comemoração ao 1º Centenário da Estrada de FerroParanaguá - Curitiba (fevereiro, 1985).
Entre os inúmeros prêmios e homenagens, recebeu a comenda “Medalha do Mérito Ferroviário”, concedida pela RFFSA (Rio de Janeiro, RJ -1990).
Da autora:

Poesias:
- “Balada do Amor que se Foi”, 1963;
- “Nhanduti”, 1964;
- “Poesia Trilógica”, 1972;
- “Encontro Maior”, 1982;
- “Avesso Meu...”, 1990 (1ª edição) e 1991 (2ª edição);
- “Poemas Soltos”, 1992 (edição artesanal, circulação dirigida);
- “Infinito em Mim...”, 1997 (1ª edição) e 2000 (2ª edição);
- “Infinite in Me”, 1997, ed. artesanal bilingue Inglês/Português, lançado na 13th Brazilian Street Festival, Nova York, em 31.08.1997;
- “L’Infinito in Me...”, 1997, edição artesanal bilingue Italiano/Português;
- “Infinito en Mí”, 1997, ed. artesanal em Espanhol, lançado na VIII Feria Internacional de Libro de La Habana, Cuba (fevereiro, 998);
- “Infini en Moi...”, 1998, ed.artesanal bilingue Francês/Português;
- “Unendlichkeit in Mir...”,1998, edição artesanal bilingue Alemão/Português;
- “Infinito em Mim”, 1998, em braile, edição do Centro de Informática para Deficientes Visuais Prof. Hermann Görgen.
- “Poemas para Orar e Meditar”, livrete com 22 poemas, três edições
(1998, 1999 e 2000), totalizando 60.000 exemplares;
- “L’Infinito in Me”, 1999, em Italiano, editado em Pisa, Itália, pela Edizioni ETS;
- “Poemas para Amar”, livrete com 22 poemas, 2 edições (1999 e
2001), totalizando 20.000 exemplares;
- “Nhanduti-Sempre Poesia”, CD com 52 poemas, 1999;
- “Férias no Sítio”, infantil, ilustrações de Raphael Furtado Casagrande (8 anos), 2002.

Pesquisa:
- “A Literatura e a História do Paraná”, 1999, edição da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná;
- “Para Onde Vão as Andorinhas”, relatos sobre as famílias Woellner, Andretta, Joslin e Valle, no Paraná, Imprensa Oficial do Estado
do Paraná, Curitiba, 2002.

Ensaio:
- “Graciette Salmon - A Ciranda da Estrela Sozinha”, 1999.

Prosa:
- “Luzes no Espelho – memórias do corpo e da emoção”
– relatos, crônicas e poemas, Curitiba, 2002.





Textos de Adélia Maria Woellner
VIVER
TRANSFORMAÇÃO I
SEPARAÇÃO
SAUDADE
REVELAÇÃO II
POETA
NUTRIZ
MUDEZ
FESTA NOTURNA
ENTREGA
CONSTELAÇÃO
CONQUISTA
CAÇADOR DE ESTRELAS
PRECE
NATAL, OUTRA VEZ...
NO TEMPO DO LOTAÇÃO
MADRUGADA FRIA, PÃO QUENTINHO...



Tempo de carregamento:{elapsed_time}